Depressão pós-parto, o que fazer?

Nascimento da criança e depressão pós-parto

Todos esperam que a jovem mãe esteja no auge da felicidade após o nascimento de uma criança. O bebê que ela esperou e desejou por nove meses, algumas vezes até por mais tempo e até muitos anos antes, finalmente chegou. O parto ocorreu bem, o bebê é saudável, a mãe é saudável, tudo está perfeito. Exceto porém, por um fato inesperado e difícil e em alguns casos impossível de diagnóstico prévio que é a depressão.

Primeiras dificuldades

Então, você começa a perceber que muitas vezes, as ondas de felicidade e contentamento são substituídas por pensamentos negativos. Você acaba por se esconder no banheiro para chorar e se sentir ainda mais deprimida e culpada. Como convencer-se de que você não tem nenhuma razão para ter tais sentimentos?

Afinal, você já está convencida de que é uma mãe ruim e a última coisa que você gostaria de fazer é contar aos outros como se sente. Seria como colocar um rótulo em seu próprio peito: “EU SOU A PIOR MÃE DO MUNDO! ” .

Você não está sozinha! Outras mães estão passando por isso também. E o nome disso é Depressão pós-parto!

Se você se identificou com a descrição acima, temos boas notícias! Duas boas notícias, na verdade.

Primeira: Você não é uma mãe ruim! Isso por que é um fenômeno pelo qual você está passando é chamado de depressão pós-parto. E fique calma! Pode ser tratado. A segunda boa notícia: você não está sozinha. Uma em cada dez mães sofre de depressão pós-parto.

A melhor coisa que você pode fazer por si expressar como se sente, falar sobre. Você descobrirá que as mulheres ao seu redor passaram ou passam por isso e estão dispostas a ajudá-la e apoiá-la.

Depressão pós-parto e baby blues

A depressão é um distúrbio grave que geralmente requer psicoterapia ou outras formas de tratamento. A maioria das mulheres sente uma tristeza pós-parto, também conhecida como baby blues. Apenas alguns dias após o nascimento, as mães podem se sentir inquietas, oprimidas, chorarem muito facilmente e passarem rapidamente de um estado emocional para outro, da alegria para a tristeza, por exemplo.

O número de mulheres que sentem tristeza pós-parto é considerável. Pelo menos metade das jovens mães pode ter baby blues, mas há especialistas que dizem que a porcentagem pode chegar a 80%. A causa dessa incerteza estatística é o resultado de uma mãe hesitar em reconhecer/aceitar que possui sentimentos que considera anormais.

A tristeza pós-parto desaparece cerca de duas semanas após o nascimento do bebê e é um estado normal. Estatisticamente falando, além da norma, as mães não sentem essa tristeza passageira.

Sintomas da Depressão:

  1. Disposição depressiva durante a maior parte do dia;
  2. Uma diminuição acentuada no interesse ou prazer para todas ou quase todas as atividades;
  3. Perda de peso significativa, embora não faça dieta, ou ganho de peso;
  4. Insônia ou hipersonia, quase todos os dias;
  5. Agitação ou lentidão psicomotora;
  6. Fadiga ou falta de energia;
  7. Sentimentos de futilidade ou culpa excessiva;
  8. Perda da capacidade de pensar ou se concentrar;
  9. Pensamentos de morte recorrentes;
  10. Ansiedade;

O que fazer? Não esqueça! Depressão tem cura!

Se pelo menos 5 dos sintomas descritos acima estiverem presentes há pelo menos duas semanas, é muito provável que você esteja passando por uma depressão pós-parto e que seja hora de pedir ajuda a um especialista. Você pode ligar para o seu médico da família, que fará uma recomendação ou contatar um psicoterapeuta, psiquiatra clínico ou psiquiatra, diretamente.

Você também pode tentar tratamentos naturais, capazes de auxiliar o tratamento. Uma solução totalmente saudável e sem efeitos colaterais é o âmbar Báltico.

 

O âmbar tem propriedades curativas? 

O âmbar Báltico é uma resina fossilizada de árvores coníferas que cresceu 50 milhões de anos atrás, aparecendo na forma de pepitas amarelas ou marrons.

A medicina natural, há muito tempo, aprecia as propriedades curativas da resina também denominada de “Ouro do Norte”. O âmbar apoia o tratamento de reumatismo e asma, reduz a pressão arterial, acelera a cicatrização de feridas, acalma os nervos, é ótimo para insônia, dores de cabeça, garganta, resfriados e também ajuda equilibrar o sistema emocional, mental e psicológico, como a depressão e ansiedade.

Segundo a Enciclopédia Britânica, o âmbar báltico é um dos melhores remédios para doenças reumáticas e asmáticas. O uso de um colar feito de âmbar, ajuda com o estresse ou tem propriedades antibacterianas, reduz a pressão arterial, aumenta a secreção biliar e ativa o corpo para combater doenças e regenerar.

 

Como o âmbar é formado?

No passado, muitas árvores cresciam nas margens do mar, que emitem resina (é um líquido amarelado e viscoso que cura uma árvore quando ela “quebra”). Essa resina entrou no mar e depois de muitos anos endureceu, tornando-se âmbar. Você pode encontrar insetos que aderem ao âmbar (a resina é muito pegajosa).

Ou seja, caro(a) leitor(a), se você é ou conhece uma mamãe que sofre com a depressão pós-parto, o âmbar Báltico pode ser uma solução eficaz para o tratamento deste distúrbio. Tratamentos naturais são sempre muito procurados e cada vez mais estão ajudando as pessoas a terem uma vida muito mais saudável. Lembre-se que as propriedades do âmbar vão além das propostas modernas, afinal, a resina e seu ácido succínico carregam uma história de milhares de anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *